04 julho 2007

Quadrinhos nacionais

Eu sempre tentei apoiar os quadrinhos nacionais. Não os quadrinhos de humor, que não precisam de meu apoio (justamente por serem ótimos). Nem os quadrinhos infantis, já que a Turma da Mônica e O Menino Maluquinho estão mais do que consolidados. Estou falando de Quadrinhos de Super-Heróis. Tenho várias, como a Hermética (de Juiz de Fora, uma única edição, com desenhos péssimos e histórias ainda piores), a Brado Retumbante (Tenho os dois primeiros números, repletos de heróis sem carisma em histórias mal escritas e com desenhos horrorosos, mas com um discurso interessante) e sempre busco na internet pra ler o que vai saindo (Até gostava do "Foice Negra", publicado na "Alta Voltagem", revista que logo sumiu, e admiro o "Leão Negro", apesar de achá-lo incrivelmente chato). Porém, nunca vi nada que saltasse os olhos ser publicado (o melhor mesmo eram as versões modernas das fábulas brasileiras, desenhada pelo meu amigo Pedrinho da Babilônia).


Porém, hoje eu li um quadrinho nacional maneiríssimo de onde eu menos esperava, do mundo Funk. E o melhor, essa pérola é distribuída de graça na Internet. A parada atende pelo singelo nome "Break do Caveira". Desenhos bacanas, que exploram bem o cenário carioca, com uso da mitologia afro. Enfim, pode não dar em nada, mas pelo primeiro número, promete. Pra baixar, clique aí na figura:


Está em PDF, mas se você é esperto e quer ler com o CDisplay (Melhor programa pra ler quadrinhos no computador! Baixe aqui!), use ESTE programa pra converter de PDF pra CBR. Dispa-se dos preconceitos e leia!
PS: Eu ainda estou esperando meus exemplares do "Raio Negro #1 e #2" e o primeiro número do "Defensores da Pátria". Assim que eu tiver lido, comento aqui.

6 comentários:

Marcus VBP disse...

constar, o melhor programa para ler quadrinhos não é o CDisplay. Este é basicamente a única opção para o Windows.

o melhor programa de ler quadrinhos que tive o prazer de por os olhos foi o Comix, mas só tem para Linux.

Rafael Saldanha disse...

Ah! Os nerds de informática e suas maravilhas inúteis... Computador, em 90% dos lares, têm windows. Até mesmo quando tem Linux. Assim sendo...

Anônimo disse...

Quadrinho nacional de super-herói?

Cê bebeu, home?

Anônimo disse...

A parte estranha é constatar que as mulheres daquela favela são todas norte-americanas. Loiras e peitudas.
Fora isso, a parte da história centrada no presente é ótima, me lembrou muito o Spawn e a parte da história que mostra o passado me lembrou o extinto Cine Trash, ou a Sexta Sexy, que os mais novos não vão se lembrar...

Cariocecus disse...

Aquelas loiras são as cachorras Zona Sul que sobem o morro pra ir pro baile... Hoje isso nem acontece tanto mais, mas na virada dos anos 90 pro 2000 era direto.
E até tem umas tetudas, mas a regra é que todas são lombudas. Isso é Brasil... hehehe

Rafael Saldanha disse...

Ops! Cariocecus sou eu também, mas é minha persona do City of Heroes!